Sala de Imprensa

Antonio GilFoi lançado no XXV Fórum Nacional o documento “Estratégia TIC Brasil 2022”, que contém a visão de futuro e o plano de ação das empresas de Tecnologia de Informação e Comunicações (TIC) para a próxima década. As bases do documento, que ainda será apresentado à presidente Dilma Rousseff, foram expostas em primeira mão pelo presidente da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia de Informação e Comunicação (BRASSCOM), Antonio Gil.

“O Brasil vem sendo reconhecido internacionalmente pela qualidade de soluções de TIC desenvolvidas em diversas áreas, mas precisa remover os atuais gargalos a fim de potencializar a competitividade das suas empresas”, comentou Gil. Entre os pontos mais sensíveis, estão a formação e atração de talentos, a promoção e o apoio ao empreendedorismo, o acesso a financiamentos e a melhoria da infraestrutura.

Em decorrência da execução dos 12 programas propostos pela BRASSCOM para os próximos dez anos, serão criados na economia brasileira 1,5 milhão de empregos diretos e 3 milhões de indiretos, mais de 85% das pequenas e médias empresas estarão usando serviços de tecnologia da informação em nuvem, mais de 70% dos alunos dos ensinos básico e médio terão acesso às TICs e mais de 70% dos hospitais do País utilizarão ferramentas de gestão eletrônica.

Diversos programas orientados à realização das metas serão desenvolvidos, “mas o êxito depende crucialmente da liderança do governo federal e de um modelo de governança que articule as ações dos atores envolvidos”, enfatizou Gil. “Entre a dúzia de projetos propostos, o lançamento imediato de dois a três programas de alto impacto no curto prazo seria fundamental”, afirmou, sugerindo que a área de educação seja priorizada.

Gil considera este um momento propício para o desenvolvimento do projeto, uma vez que as mudanças globais (econômicas, demográficas e tecnológicas) proporcionam oportunidades únicas para o Brasil. “Além disso, o governo federal priorizou a TIC nas políticas públicas”, lembrou. O executivo se diz confiante de que a Estratégia TIC Brasil 2022 possa trazer ao País ganhos de produtividade e competitividade, além de um setor público ágil e transparente, “que faz mais e melhor, com menos recursos”.