Sala de Imprensa

Humberto BarbatoO presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, defendeu, durante palestra no Fórum Nacional, a adoção de uma política industrial que incentive “os setores dinâmicos”, de modo a permitir a ampliação dos investimentos em inovação. “A indústria que queremos deve manter-se atualizada”, justificou.

Barbato iniciou seu discurso mostrando dados de recente pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), revelando que a indústria brasileira ainda está muito atrasada no uso das chamadas tecnologias 4.0, aquelas que estão na fronteira do desenvolvimento técnico. De acordo com a pesquisa, apenas 48% das empresas pesquisadas disseram fazer uso de ao menos um tipo de tecnologia digital.

Após ressaltar a extensão da crise e seu impacto sobre as empresas do setor, o presidente da Abinee elencou uma série de pontos que, em sua opinião, são necessários para que o Brasil reencontre o caminho do crescimento perene. Entre esses pontos, ele destacou o aumento da eficiência do estado, a racionalização do sistema tributário, a modernização das relações trabalhistas, priorizando as negociações coletivas, o aproveitamento do déficit de infraestrutura do País para alavancar o crescimento, aproveitar recursos como os dos compulsórios dos bancos para aumentar a oferta de crédito às empresas e parar com o uso do câmbio para o controle da inflação.