Sala de Imprensa

Thomás Tosta de SáEm palestra no painel sobre Mercado de Capitais no XXVIII Fórum Nacional, o presidente-executivo do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), Thomas Tosta de Sá, disse que apesar da crise sem precedentes desde o início da década de 1990, ele acredita na recuperação da economia brasileira, “inclusive porque já temos indicadores positivos”.

Tosta enumerou entre esses indicadores a trajetória de queda do déficit em conta corrente, iniciada no ano passado e que deverá prosseguir em 2016, a manutenção de níveis elevados de reservas cambiais, a perspectiva de mudança da Lei de Partilha do petróleo que deverá transformar as reservas de hidrocarboneto em “óleo nas mãos dos brasileiros” e a desvalorização do real com seus impactos positivos sobre a competitividade da indústria de transformação.

Tosta de Sá criticou o que chamou de “fúria arrecadatória” do estado, que, em sua opinião, representa uma “estatização da poupança privada” e disse que ela poderá ser resolvida com o ajuste das contas públicas, a reforma da Previdência e a reforma tributária.

De acordo com Tosta de Sá, o mercado de capitais brasileiro não tem tido “um grande desempenho por conta do comportamento bipolar das políticas de governo” e disse que o Ibmec busca “tirar do eixo São Paulo-São Paulo a prevalência desse mercado”. Para exemplificar o pequeno desenvolvimento do mercado, ele disse que atualmente existem no País 2.200 intermediário do mercado contra 75 mil corretores de seguros e 250 mil corretores de imóveis.