Livros

Inflação, moeda e desindexação. Nobel, São Paulo, 1994 [Seminário Especial- 1993].

Os estudos publicados neste volume constituem importante contribuição para interpretar fenômeno – o da alta inflação crônica – que há anos vem desfiando a capacidade de compreensão dos economistas brasileiros e resistindo às mais variadas terapias de combate.

Na introdução, João Paulo dos Reis Velloso analisa o que considera paradoxo política e sociologicamente complexo: a complacência da sociedade brasileira com a inflação, na verdade um jogo de soma negativa para a maioria. Inibidor do crescimento e da melhoria do padrão de vida da população, inclusive da classe média. Jogo que somente será evitado se os principais atores sociais agirem de comum acordo, abrindo mão de estratégias defensivas, compreensíveis quando consideradas isoladamente, porém inviabilizadoras da cooperação necessária à estabilização.

Na primeira parte do livro Antonio Barros de Castro e Rubens Penha Cysne examinam a questão inflacionária numa perspectiva mais ampla, intentando identificar suas características e os obstáculos a sua redução. Castro destaca, em particular, que o caráter compreensivo das políticas antiinflacionárias mais comumente preconizadas requer profunda e competente intervenção governamental na economia, ainda que o objetivo buscado seja o livre funcionamento do mercado. Penha Cysne ressalta as limitações de ordem fiscal, a necessidade de reformas de base na gestão monetária, alerta para os riscos da dolarização e para os problemas de uma ancoragem monetária, para propor, em seguida o que não fazer e o que fazer para um combate incisivo à inflação.

Na segunda parte, renomados especialistas (Carlos Eduardo de Freitas, Dionísio Dias Carneiro, Fernando de Holanda Barbosa, Celso L. Martone, José Júlio Senna e Sérgio Ribeiro da Costa Werlang) formulam e fundamentam, com base em seus conhecimentos teóricos e na experiência brasileira, suas propostas de política de estabilização. As ferramentas clássicas de gestão monetária e de política fiscal; as abordagens alternativas, heterodoxas e ortodoxas; os meios para reverter expectativas inflacionárias; os caminhos para a restauração da moeda nacional; as medidas institucionais (em particular as relativas ao Banco Central independente); a questão da desindexação são soluções consideradas por quase todos os autores. Suas abordagens, porém, embora em muitos aspectos convergentes, divergem em alguns pontos, seja na ênfase conferida aos instrumentos de combate à inflação, seja quanto à precedência cronológica deles. Constituem, por isso mesmo, valioso painel de alternativas terapêuticas antiinflacionárias, igualmente útil para esclarecer o entendimento de mal que há tanto tempo aflige a economia e a sociedade brasileiras.

Sumário

Introdução

Inflação e sociedade no Brasil
João Paulo dos Reis Velloso

Parte I – Inflação e política econômica

Governar é preciso
Antonio Barros de Castro

Sobre a política econômica brasileira
Rubens Penha Cysne

Parte II – Estabilização, política monetária e controle da inflação

Estabilização e política monetária no Brasil
Carlos Eduardo de Freitas

Adaptação inflacionária, política monetária e estabilização
Dionísio Dias Carneiro

Um novo regime monetário-fiscal no combate à inflação
Fernando de Holanda Barbosa

A restauração da política monetária
Celso L. Martone

Entraves ao controle monetário no Brasil
José Júlio Senna

Sugestões para uma política antiinflacionária no Brasil
Sérgio Ribeiro Werlang