Livros

Estratégia industrial e retomada do desenvolvimento. J. Olympio, Rio de Janeiro, 1992 [IV Fórum Nacional- 1991].

O Fórum Nacional dedica este volume ao exame dos objetivos, conteúdo e oportunidades estratégicas da indústria brasileira na atual década, no contexto de gradual retomada do crescimento rápido e de modernização tecnológica.

O estudo desdobra-se em três partes. Na primeira, Antonio Barros de Castro analisa as condições do crescimento rápido dos países menos desenvolvidos – entre eles, o Brasil, com as especificidades que o singularizam -, que se sintetizam num ‘esforço organizado’ de convergência estrutural com os países avançados, ’emparelhamento’ que pressupõe persistência e continuidade e o desenho, pelo Estado, de ‘futuros razoavelmente definidos’, que todos se
empenhem em construir. E José Tavares de Araújo Jr. conduziu, para o Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), ampla pesquisa em que aponta as perspectivas
da indústria brasileira na presente década e delineia, por setores produtivos, uma estratégia que a torne capaz de acompanhar o progresso técnico
internacional.

Na segunda parte, Ennio Candotti faz um balanço da política de ciência e tecnologia da década de 1980, em suas várias dimensões, alertando que os avanços obtidos não se refletiram na melhoria das condições de vida da população. E Edson Machado de Sousa apresenta a nova configuração dada à política nacional de informática.

Na terceira parte do volume, Luiz Paulo Velloso Lucas destaca os progressos do atual governo ao conceber programas em tecnologia, qualidade e produtividade e competitividade industrial, apontando seus desafios: o aprofundamento das estratégias setoriais correspondentes, e o envolvimento de líderes industriais e sindicais, além dos estados, na sua execução. José Augusto Assumpção Brito discute a inserção das pequenas e das microempresas no novo paradigma industrial emergente e os estímulos para tanto necessários. Luiz Alfredo Salomão destaca o papel das pequenas e médias empresas na recuperação do crescimento. Samuel Guimarães, finalmente, acrescenta, ao estudo das oportunidades industriais estratégicas e da política científico-tecnológica, a questão do emprego, buscando a conciliação, necessária, entre modernização tecnológica e bem-estar ao dar relevo ao equacionamento da questão social como condição para a própria estabilidade do desenvolvimento.

Sumário

Introdução Geral

Como evitar uma nova “Década Perdida”
João Paulo dos Reis Velloso

Primeira Parte – Oportunidades estratégicas na presente década

O Brasil e as economias de crescimento rápido
Antônio Barros de Castro

Oportunidades estratégicas da indústria brasileira na década de 1990
José Tavares de Araújo Jr., Paulo Guilherme Corrêa e Marta Reis Castilho

Segunda Parte – Progresso técnico-científico

Como evitar que a década de 1990 seja perdida
Ennio Candotti

Política nacional de informática: avanços recentes e perspectivas
Edson Machado de Sousa

Terceira Parte – Complementação e avaliação de políticas

A política industrial brasileira: avanços e desafios
Luiz Paulo Velloso Lucas

A inserção das micro e pequenas empresas no novo paradigma industrial
José Augusto Assumpção Brito

Proposta para sair da crise
Luiz Alfredo Salomão

Política industrial e emprego
Samuel Guimarães