Livros

Desenvolvimento, tecnologia e governabilidade. Nobel, São Paulo, 1994 [V Fórum Nacional- 1993].

O presente volume examina, no contexto de um novo modelo de desenvolvimento para o Brasil, o papel que nele devem desempenhar a ciência e a tecnologia e o sistema político. Na dimensão econômica do modelo, apresentado por João Paulo dos Reis Velloso, os processos de transformação produtiva e, em especial, de reestruturação industrial que decorrem de compromisso com a competitividade e da necessidade de inserção mais ampla e dinâmica no mercado internacional dependem do domínio do conhecimento tecnológico, em muitos casos especializado e avançado. Esse conhecimento freqüentemente não se encontra incorporado aos equipamentos por quanto é, cada vez mais, o resultado da elaboração intelectual aplicada a todos os estágios da produção. Nessa área, a opção política básica para o país consiste em acompanhar, de perto (e com criatividade), a fronteira tecnológica internacional, que avança cada vez mais rapidamente E a escolha estratégica decorrente é a consolidação e o reordenamento do sistema nacional de inovação, proposta apresentada por Cláudio Frischtak e Eduardo A. Guimarães, debatida por Sérgio Xavier Ferolla e posta em confronto por Dae Won Choi, com a experiência de avanço tecnológico do chamado “capitalismo organizado” asiático. Na outra vertente – a político-institucional – resulta evidente, a partir da introdução ao livro, que a governabilidade compatível com a democracia somente é assegurada, a longo prazo, através da realização simultânea de três modernidades: a econômica, a social e a política, ou seja, com a conquista do desenvolvimento, globalmente considerado. Nesse contexto, Luciano Martins examina as condições de viabilidade de um projeto nacional que reflita os valores socialmente consensuais e os interesses econômicos predominantes, articulados e agregados pelo sistema político em ações consistentes e duradouras. Marcílio Marques Moreira propõe uma agenda de modernização para os anos 90 (com dois pressupostos e sete prioridades) e Inocêncio de Oliveira, uma agenda para a revisão constitucional. Helio Jaguaribe examina, em suas várias dimensões, a crise conjuntural do país e a necessidade de superá-la como requisto da governabilidade. E Paulo Rabello de Castro destaca o cidadão no centro de uma nova fase de progresso para o Brasil.

O volume encerra-se com contribuições de Mario Cesar Flores, Gilmar Carneiro, Jacques Marcovitch, José Tavares de Araujo Jr., José Augusto Fernandes, Rainer Steckhan e José Augusto Assumpção Brito ao debate de um novo modelo de desenvolvimento para o país, examinado sob diferentes enfoques.

Sumário

Introdução

A transição para a modernidade no Brasil
João Paulo dos Reis Velloso

Parte I – Novo modelo de desenvolvimento para o Brasil

A concepção do modelo: interação entre inovação e sociedade
João Paulo dos Reis Velloso

Parte II – O novo modelo e a ciência e tecnologia

O sistema nacional de inovação: estratégia para seu reordenamento
Cláudio Frischtak e Eduardo A. Guimarães

Aceleração do progresso técnico-científico
Sérgio Xavier Ferolla

A nova estratégia do desenvolvimento tecnológico no Pacífico: uma digressão
Dae Won Choi

Parte III – O novo modelo e a modernização política

Projeto de desenvolvimento, sistema político e a crise do Estado-nação
Luciano Martins

Uma agenda de modernização para os anos noventa
Marcílio Marques Moreira

A reforma da Constituição de 1988
Inocêncio de Oliveira

O problema da governabilidade
Helio Jaguaribe

A primazia do cidadão na nova fase de progresso nacional
Paulo Rabello de Castro

Parte IV – O novo modelo em debate

O novo modelo e o planejamento estratégico
Mario Cesar Flores

Um plano de metas para o Brasil
Gilmar Carneiro

A questão da competitividade
Jacques Marcovitch

Política industrial e livre comércio
José Tavares de Araujo Jr.

A nova estratégia industrial
José Augusto C. Fernandes

O Banco Mundial e o Brasil: prioridades para o meio ambiente
Rainer Steckhan

O modelo de desenvolvimento e a pequena empresa
José Augusto Assumpção Brito