Livros

Condições para a retomada do desenvolvimento. Nobel, São Paulo, 1991 [III Fórum Nacional- 1990].

O presente volume, voltado para a discussão das precondições para a retomada do crescimento, acentua as características do Fórum Nacional como centro de debates, consciência crítica e fonte de recomendações concretas para a modernização da sociedade brasileira.

Assim é que, no tocante ao programa de estabilização, apresenta, de um lado, a visão de Zélia Cardoso de Mello, ministra da Economia à época (fins de 1990, e, de outro, comentários menos ou mais críticos, entre os quais os dos ex-ministros Mario Henrique Simonsen e Bresser Pereira, assim como o do atual Secretário de Política Econômica, Roberto Macedo.

Importante notar ter havido virtual consenso quanto a que a inflação só será controlada, realmente, se houver um ajuste fiscal permanente, e não apenas transitório, além de política monetária apertada e estável. Ingrediente essencial é, também, uma política de rendas capaz de evitar a indexação dos salários e preços, que, na sua ciranda inglória, nascida da cultura inflacionária, impede o declínio da inflação.

O segundo tema do livro é, no mínimo, tão fascinante como esse. Trata-se de discutir por que a retomada do crescimento, no Brasil, está tão dependente de fatores políticos, em geral desfavoráveis. E como conciliar a operação da democracia, inclusive exercitada por uma política de massas e tendo um Congresso Nacional hoje dotado de importantes funções econômicas, com a boa gestão da política antiinflacionária e da retomada do crescimento. Para essa questão básica se voltaram as contribuições de Luciano Martins, Fábio Wanderley Reis, Nelson Jobim e Walder de Góes.

O terceiro tema não é menos importante: Para onde vai o sindicalismo brasileiro? Um cientista político, uma ex-ministra (hoje Secretaria Nacional de Economia) e um líder sindical procuram responder à pergunta. E da discussão ressalta a lição inequívoca: a modernização do movimento sindical passa, necessariamente, pela superação da insistência em cuidar apenas do dia-a-dia dos reajustes de salários normais, para dedicar mais atenção ao aumento dos salários reais, que só virá com a queda da inflação, e à arena das decisões maiores da política econômica, tornando o trabalhador um co-autor das estratégias de desenvolvimento nacional.

Sumário

Introdução

Onde está a consciência social do país? (Idéias para a modernização)
João Paulo dos Reis Velloso

Parte I – A crise brasileira e o governo Collor

O governo Collor em face da crise brasileira
Zélia Cardoso de Mello

Brasil, 1991
Hélio Jaguaribe

Crise e transição em quatro pontos
César Maia

Reflexões sobre as perspectivas e os riscos do novo programa econômico
Gilberto Dupas

Parte II – O ajustamento de curto prazo

A inflação e nove meses do Plano Collor
Mario Henrique Simonsen

Um congelamento preparado e aberto
Luiz Carlos Bresser Pereira

Estabilização e distribuição
Roberto Macedo

O Plano Collor aos nove meses
Carlos Alberto Longo

O Plano Collor e a inflação brasileira
Fernando de Holanda Barbosa

A revolução do orçamento
Ernane Galvêas

Inflação e política de rendas
José Carlos de Assis

O sapo no aquário
Sergio Bésserman Vianna

Parte III – Condições políticas para o desenvolvimento

Condições políticas para o controle da inflação
Luciano Martins

Crise brasileira e construção institucional
Fábio Wanderley Reis

A Câmara dos Deputados como a Assembléia dos Estados
Nelson Jobim

O Congresso, o federalismo, a inflação e o crescimento econômico sustentado
Walder de Góes

Parte IV – Rumos do sindicalismo brasileiro

Rumos do sindicalismo
Dorothéa Werneck

Novo cenário para o sindicalismo brasileiro
Leôncio Martins Rodrigues

Idéias para um “Modelo CGT” de relações capital-trabalho
Francisco Canindé Pegado do Nascimento