Sala de Imprensa

Déficit fiscal de Minas é todo culpa da Previdência, diz Pimentel

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), traçou um quadro da Previdência estadual, que considerou "gravíssimo", durante os debates da tarde no primeiro dia do XXX Fórum Nacional. O petista simplificou as contas de forma clara: "O resultado fiscal de Minas em 2017 ficou deficitário em R$ 8 bilhões. Se fosse possível retirar a Previdência Social, teríamos registrado superávit de R$ 8 bilhões", revelou. "Descontamos R$ 5 bilhões em receitas para a Previdência, mas pagamos R$ 18 bilhões. Ou seja, tivemos déficit de R$ 16 bilhões nessa área, o que nos permite… ... continue lendo →

A Reforma da Previdência tem que ser uma bandeira Nacional

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, criticou, nesta quinta-feira, 10, no Rio, a estratégia adotada pelo Palácio do Planalto, na condução da reforma da Previdência no Congresso Nacional. Segundo Pezão, o governo focou nas mudanças na Previdência Privada, deixando de lado a Previdência Pública, onde existem as maiores distorções nas contas públicas de todos os estados. "Eu falei ao presidente Temer que ele errou ao defender a reforma com foco na Previdência Privada, deixando de lado a Previdência Pública, que mais afeta ao país", disse Pezão, acrescentando que no Rio… ... continue lendo →

Rombo da Previdência tem solução, garante Velloso

Na retomada dos debates da tarde no XXX Fórum Nacional, o economista Raul Velloso introduziu o tema "Previdência e crise financeira estadual", antecedendo governadores e secretários de Fazenda. Segundo o estudioso, é necessário criar um jeito novo de buscar soluções. Ele alerta para a complicadíssima situação na Previdência, que, na sua avaliação, requer algo mais do que uma reforma de regras - pois essa solução carece de prazo muito longo para fazer efeito. A partir do levantamento de dados da Previdência Pública estadual, estado a estado, desde 2006 até 2018, Velloso e o… ... continue lendo →

Sem reformas dívida pública chegará em breve a 100% do PIB

O diretor da Instituição Fiscal Independente (IFI), Felipe Salto, traçou um cenário e projeções preocupantes para, pelo menos, os próximos oito anos no Brasil, diante dos crescentes déficits fiscais e da falta de avanços significativos nas reformas, principalmente na reforma da Previdência. A IFI é ligada ao Senado Federal. "Se não avançarmos com a agenda de reformas, a dívida pública vai continuar crescendo até chegar a 100% do PIB", alertou Salto. Para o economista, esse cenário poderá ser uma realidade até 2030. Salto lembrou que os ajustes fiscais feitos até agora têm pesado… ... continue lendo →

Cysne alerta para o risco de dominância fiscal

O risco de dominância fiscal foi o tema central da palestra de Rubens Penha Cysne, diretor da Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV), no primeiro dia de debates do XXX Fórum Nacional. Uma economia encontra-se em dominância fiscal quando, mesmo elevando os juros, o governo não consegue colocar junto ao público títulos da dívida na quantidade suficiente para pagar suas contas. Neste contexto, o Banco Central precisa agir gerando um dado valor de imposto inflacionário. Por este motivo, ele perde a capacidade de predeterminar com credibilidade a meta… ... continue lendo →

Maciel: “Precisamos de cautela ao falar de reforma tributária”

O consultor e ex-secretário Nacional da Receita Federal Everardo Maciel aconselhou nesta quinta-feira, 10, no Rio, "muita cautela" em relação ao debate sobre reforma tributária no país. Segundo Maciel, não existe um modelo perfeito a ser adotado, uma vez que o tema envolve interesses de todos os setores econômicos. "Todo sistema tributário é imperfeito. Não existem paradigmas tributários. Se eu tiver um sistema muito fechado ele vai quebrar. Nós temos que parar de pensar que a mudança do sistema tributário é remédio para tudo. Se você aperta o tabaco, por exemplo, você cria… ... continue lendo →

O longo caminho para a simplificação tributária

O senador Armando Monteiro (DEM-PE), jogou luz sobre as reformas microeconômicas, no primeiro dia de debates do XXX Fórum Nacional. O parlamentar entende que a estabilidade macroeconômica é condição necessária, mas não suficiente para o pleno crescimento. "Precisamos trazer as pequenas reformas para o centro do debate, e analisar questões como a simplificação tributária, as relações entre o fisco e o contribuinte e até a concorrência bancária", propôs Monteiro, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A recuperação da produtividade exige, segundo o senador, um ambiente institucional estimulador da atividade econômica, que não… ... continue lendo →

Fernando Veloso : Recuperação econômica começa a perder fôlego

O economista Fernando Veloso, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), alertou nesta quinta-feira, 10, durante a XXX edição do Fórum Nacional, no Rio, para o fato de que a reação econômica que o Brasil começava a mostrar nos últimos meses começa a dar sinais de perda do fôlego, em consequência do colapso da taxa de investimento como proporção do PIB e do aumento da informalidade. A sinalização mais clara desse quadro, segundo ele, é a queda na confiança de pessoas físicas e empresa. Veloso fez um balanço do que classificou como "enorme destruição do… ... continue lendo →

Velloso propõe equacionar duas faces do mesmo drama

Uma vez mais, a preocupação com o investimento como um todo e, particularmente, com o investimento em infraestrutura, foi o foco da breve palestra de abertura de Raul Velloso, ao iniciar o XXX Fórum Nacional. O economista comentou as duas "faces do mesmo drama", referindo-se ao baixo nível de investimentos registrado nos últimos anos, ao mesmo tempo em que os gastos com a Previdência Pública crescem de forma quase descontrolada, ambos decisivos para frear o crescimento da economia. Velloso lembrou que o país ocupa reiteradamente péssimas colocações em rankings internacionais que avaliam investimentos… ... continue lendo →

Ferrari: Sinais macro melhoram, mas desafios ainda são enormes

O diretor de Infraestrutura do BNDES, Marcos Ferrari, abriu nesta quinta-feira, 10, a XXX edição do Fórum Nacional, fazendo um balanço positivo dos avanços conseguidos pelo governo frente ao que classificou de "a maior crise econômica da história brasileira". "O Brasil veio de um cenário muito desfavorável, com queda superior a 8% do PIB, em consequência de uma questão fiscal muito séria, o que nos levou a uma década de resultados negativos. Nesse cenário assistimos a uma escalada da dívida bruta, chegando a 75% do PIB", apontou Ferrari, para quem, mesmo pequena, já… ... continue lendo →

XXX Fórum Nacional

Começou há pouco a edição do 30º aniversário do Fórum Nacional, no auditório do BNDES, edifício Ventura, no Centro do Rio. Nesta edição histórica, o tema "Expandir a infraestrutura é a chave para crescer mais" será debatido por economistas, empresários, parlamentares, governadores e especialistas dos setores público e privado. Os debates serão presididos e mediados pelo economista Raul Velloso. ... continue lendo →

Fortalecer é dar autonomia

O diretor geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, reafirmou a necessidade do fortalecimento das agências regulatórias, mas principalmente com autonomias financeira e administrativa. Rufino lembra que o consumidor paga nas contas de energia uma taxa que deveria ser revertida à Aneel, e que só este ano já gerou ao governo cerca de R$ 3 bilhões, sem que os recursos fosse repassados à agência. "Eu já tive que fechar a nossa ouvidoria por falta de recursos", lamenta Rufino, que lembra também que as agências precisam avançar para a autonomia política… ... continue lendo →