Sala de Imprensa

2741-Felipe GeleleteCoube ao gerente do Departamento de Empreendedorismo e Investimento em Startups da Finep, Felipe Gelelete, explicar em sua palestra no Fórum Nacional como se dão as operações da empresa, criada em 1967, hoje ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). “Nosso objetivo é apoiar financeiramente projetos de desenvolvimento de tecnologia, inovação e P&D”, resumiu.

Para atingir essa meta, a Finep conta com uma variada gama de linhas de financiamento reembolsável (empréstimos comuns com juros subsidiados pelo governo), bem como programas de financiamento não-reembolsável, cujo nome técnico é subvenção.

“O grande problema de trabalhar com inovação é a incerteza sobre em quanto tempo o investimento será recuperado para a empresa”, ressaltou, explicando que os programas de incentivos do governo federal para projetos inovadores busca justamente combater os efeitos inibidores dessa incerteza..

Segundo Gelelete, um dos destaques nesta área de antídoto à incerteza está nas linhas de fomento à inovação da Finep, sobretudo para as startups. “Já fizemos duas rodadas de seleção de startups e, em junho, teremos nova rodada de recolhimento de propostas”, adiantou. O setor privado, segundo ele, tem grande participação nas bancas de seleção.