Sala de Imprensa

2689-Marcelo SalesUm nerd assumido. Assim se define Marcelo Sales, um dos fundadores da Movile — a maior e mais completa empresa de serviços para celulares da América Latina, mais conhecida pelo serviço iFood de compra de comida por aplicativo. A companhia é resultante da fusão de duas empresas originadas nas incubadoras da PUC-RJ e da Unicamp.

Para Sales, a capacitação da mão-de-obra ainda é um gargalo ao crescimento do seu setor no país. “No Brasil, não é só o empreendedor que precisa ser capacitado. O sistema inteiro precisa estar preparado para a grande virada”, disse, explicando que atualmente, tem mil vagas abertas, e sem resposta do mercado, em sua empresa para desenvolvedores. “Adoraria preenchê-las com mil engenheiros de computação, mas não tenho como esperar cinco anos até que eles se formem nas universidades”, lamentou.

Outra questão citada como entrave é o hiato entre a cadeia produtiva e as cabeças pensantes. “Quando olho para a cadeia produtiva brasileira vejo tudo focado nas commodities: soja, feijão, minério. Mas os desenvolvedores de programas não estão nas zonas agrícolas, mas todos nas grandes cidades”, disse. Para ele, é preciso levar a experiência das universidades para mais perto de onde se precisa dos cérebros, que é no setor agrícola.

Desde o final de 2010, com a consolidação da Movile como a principal empresa do segmento no mercado latino-americano, Sales e seus sócios passaram a se dedicar também a criar os próximos produtos disruptivos no mercado digital na América Latina. Fundaram a aceleradora digital 21-212 para, segundo ele, “investir em novos nerds”.

“Vamos parar com esse papo de que as soluções para o Brasil vão vir lá de fora. São os brasileiros que vão achar soluções para os brasileiros”, comentou, referindo-se ao caso de outra empresa sob seu guarda-chuva, a Maxi Milhas, que troca passagens aéreas por milhas acumuladas.