Sala de Imprensa

Nicolau: Temer tem a vantagem de conhecer o Congresso

Em palestra na Sessão Especial do Fórum Nacional, o cientista político Jairo Nicolau, professor da UFRJ, disse que o presidente Michel Temer “tem a vantagem de talvez ser o presidente que mais conhece o funcionamento do Congresso Nacional”. Esse conhecimento, para ele, dá ao atual governo a possibilidade de aprovar as duras medidas econômicas que estão propostas, como o ajuste fiscal e a reforma da Previdência. Contudo, Nicolau entende que Temer deve agir rápido para aproveitar o momento que lhe é favorável, antes que as incertezas que permanecem no ar, especialmente quanto ao… ... continue lendo →

Para crescer comercialmente é preciso vencer concorrência

Em palestra durante o primeiro painel da Sessão Especial do Fórum Nacional, o embaixador Marcos Galvão, secretário geral de Relações Exteriores do Itamaraty, disse que com a queda do ritmo do comércio mundial, que após a crise de 2008 vem se dando no mesmo ritmo do Produto Interno Bruto (PIB), quando historicamente crescia o dobro, os países que quiserem aumentar a participação nesse comércio terão que “vencer a concorrência e ocupar os espaços de outros”. Essa nova realidade, em sua opinião, impõe ao Brasil, que pretende ampliar sua fatia nesse comércio, um grande… ... continue lendo →

Quando os jovens não se reconhecem no sistema político

A presidente em exercício do Instituto Teotônio Vilela, Aspásia Camargo, disse em palestra no Fórum Nacional que entre as muitas facetas da crise brasileira atual existe um “conflito geracional” determinado pelo fato de que “os jovens não se reconhecem nesse sistema político e nessas instituições”. Em sua opinião, a tensão provocada por esse conflito é maior do que a ocorrida em 1964, quando os jovens não se sentiam representados pelos generais que assumiram o poder. “Os velhos vão ter que ceder um bom espaço para os mais jovens para poder implementar essa agenda… ... continue lendo →

Chega de olhar os defeitos brasileiros e não as potencialidades

O presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcio Pochmann, lamentou, nesta terça-feira, 17, no Rio, a insistência do debate político e econômico do Brasil em focar nas deficiências do País e não em seus potenciais. Para Pochmann, que resumiu o documento elaborado no ano passado por 150 intelectuais, intitulado "Por um Brasil justo e democrático", enquanto o País se voltar apenas para os seus defeitos não haverá horizonte de superação das crises. "Minha insatisfação é com o diagnóstico vencedor atual. Essa postura de aprofundamento e valorização de nossas fraquezas não poderá apresentar avanços", criticou.… ... continue lendo →

Os governos têm obrigação de ser prudentes

Em palestra no XXVIII Fórum Nacional, a socióloga Aspásia Camargo, presidente em exercício do Instituto Teotônio Vilela, disse que o diagnóstico da crise brasileira se apoia em dois pontos: “Primeiro ponto, crise fiscal, e segundo, crise fiscal”. De acordo com a socióloga, que falou em nome do presidente efetivo da entidade, senador José Aníbal (PSDB-SP), impossibilitado de comparecer ao evento, a crise fiscal decorre da tendência ao aumento da despesa pública, “uma patologia que não podemos controlar”. Esse descontrole, na opinião de Aspásia, decorre do “parasitismo de um estado patrimonialista” que precisa ser… ... continue lendo →

Pauta das exportações brasileiras está defasada

O presidente da Fundação João Mangabeira, Renato Casagrande, apontou nesta terça-feira, 17, durante a XXVIII edição do Fórum Nacional, no Rio, os desafios da desindustrialização e a "reprimarização" das exportações (foco nas commodities) como razões do aprofundamento da posição periférica do Brasil frente à economia mundial, deixando de ter um projeto de país desenvolvido, limitando-se a remunerar o capital especulativo. "Precisamos de um plano nacional de desenvolvimento, que não se limite a refletir apenas o cenário econômico mundial, mas sim com atenção para as necessidades da sociedade brasileira, com sustentabilidade e com a… ... continue lendo →

Violência fez cair apoio popular às manifestações de protesto

Ainda no painel do segundo dia de evento, o cientista político e diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, explicou que ainda não há uma resposta definida para a utilização da energia decorrente dos protestos que avançam pelo País desde junho do ano passado como combustível para a retomada do desenvolvimento e do crescimento econômico do Brasil. Coimbra, no entanto, apresentou o perfil e as perspectivas para os próximos meses, a partir do monitoramento de redes sociais e pesquisas de opinião sobre como vai o humor do brasileiro quanto às manifestações. De acordo… ... continue lendo →