Sala de Imprensa

Luiz Carlos Prestes FilhoEm palestra no encerramento da Sessão Especial do Fórum Nacional, o escritor Luiz Carlos Prestes Filho, autor do livro “Cadeia Produtiva da Economia do Carnaval”, disse que nos últimos cinco anos, enquanto a Copa do Mundo de Futebol (2014) e os Jogos Olímpicos (2016) trouxeram ao Brasil, respectivamente, 400 mil e 600 mil turistas, e movimentaram no conjunto R$ 4 bilhões, o Carnaval trouxe no mesmo período 20 milhões de turistas e movimentou R$ 12 bilhões em todo o País.

“Cada real investido no Carnaval se transforma em muitos outros reais”, disse Prestes, lamentando que esse potencial não seja devidamente valorizado pelo Estado brasileiro nas suas diversas instâncias. “O Carnaval não consegue espaço nem nas rubricas dos orçamentos públicos”, ressaltou. Na opinião de Prestes, quando o governo federal vai destinar recursos para aquela que é a maior festa popular do País precisa se valer da rubrica “dança”.

O escritor lamentou também que os governantes do estado e da cidade do Rio de Janeiro tenham conduzido o que ele chamou de “embranquecimento” da área da cidade antes conhecida como Pequena África, englobando desde o centro comercial popular do Saara até a região portuária, agora batizada de Porto Maravilha, para ele, atendendo a interesses da especulação imobiliária. De acordo com o escritor, de 64 barracões de escolas de samba que havia na área restaram apenas 20.