Livros

Teatro mágico da cultura, crise global e oportunidades do Brasil. J. Olympio, Rio de Janeiro, 2009 [Fórum Nacional – Edição Extraordinária – dez/2008].

Este livro publica o material relativo à Edição Extraordinária do Fórum Nacional de dezembro de 2008, evento que ainda se inseriu no âmbito das comemorações dos vinte anos da instituição.

Ele aborda duas questões de relevância e atualidade para o Brasil. Por um lado, ante à crise global, procura uma saída que não seja apenas defensiva e enseje melhor proveito das oportunidades que ora se delineiam ao país — em particular a nova riqueza que se vislumbra com o petróleo do pré-sal. Por outro lado, dentro de uma visão do desenvolvimento que é global (econômico-social, mas também político-institucional e cultural), dedica quatro de suas cinco partes exclusivamente ao desenvolvimento da cultura entre nós.

A primeira parte do livro examina a crise financeira e seus impactos e, após avaliar a dimensão das riquezas do pré-sal, sugere que os recursos gerados por esse novo mundo do petróleo sejam utilizados para transformar a economia brasileira. Evitando a “maldição do petróleo” a que se referiu Jeffrey Sachs em 1995. E tornando o país economia criativa, flexível e dinâmica.

As quatro partes seguintes abordam “o mundo mágico da cultura”, tal como referido por Hermann Hesse em seu livro O lobo da estepe, de 1927. São apresentadas as bases de uma estratégia de desenvolvimento cultural, nela incluídos os mecanismos e instrumentos de fomento à cultura e a preservação e reanimação dos núcleos centrais das principais cidades brasileiras. Várias das formas e modos de manifestar e difundir a cultura foram examinados e tiveram medidas de apoio apresentadas por Grupos de Trabalho especialmente constituídos para esse fim: cinema e indústria audiovisual em geral; cultura popular; teatro; indústria do livro; música. A cultura foi vista como atividade presente tanto nas favelas como nas universidades, com ênfase ao apoio dado por essas entidades de ensino e pesquisa ao desenvolvimento cultural do país. E se discutiu também, em profundidade, o apoio da mídia (imprensa, televisão) à cultura e a responsabilidade cultural das empresas.

Corno observa João Paulo dos Reis Velloso na introdução a este livro, “cultura é desenvolvimento”. Para ele, nas discussões do Fórum, ficou claro haver duas visões do processo cultural: a visão que considera a cultura per se, a qual, segundo seus próprios agentes, se organiza mais sob a forma de cooperativas e outras instituições pouco voltadas para resultados econômico-financeiros; e a visão que considera a cultura indústria criativa (sem que ela deixe de ser lazer, satisfação). Para Reis Velloso, “as duas visões não são contraditórias. São complementares. E ambas são desenvolvimento. Logo, as duas têm que ser atendidas em qualquer forma de estratégia cultural”.

No final do livro, publica-se, em anexo, atualização, para o período 1970-2008, do IDS — Índice de Desenvolvimento Social, lançado, em nova versão, no XX Fórum Nacional, de maio de 2008.

R.C.A.

Sumário

Introdução

“Teatro mágico da cultura”, crise global e oportunidades do Brasil
João Paulo dos Reis Velloso

PRIMEIRA PARTE – SOB O DOMÍNIO DA INSEGURANÇA: CRISE GLOBAL E OPORTUNIDADE EM PETRÓLEO

A resposta multilateral à crise global e os países emergentes
Eduardo Fernandez-Arias, Andrew Powell e Alessandro Rebucci

A crise de 2008 e o Brasil
Affonso Celso Pastore e Maria Cristina Pinotti

Pré-sal: conhecimento, estratégia e oportunidades
Guilherme de Oliveira Estrella, Ricardo Latgé Milward de Azevedo e José Miranda Formigli Filho

Pré-sal: oportunidade histórica
Adilson de Oliveira

Considerações sobre a crise financeira e o pré-sal
Luiz Guilherme Schymura

SEGUNDA PARTE – “TEATRO MÁGICO DA CULTURA”, I: BASES DA ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO CULTURAL

Bases da estratégia: economia da cultura para o enfrentamento criativo da crise
João Luiz Silva Ferreira (Juca Ferreira)

Nova lei de fomento à cultura: proposta do Ministério da Cultura

Considerações sobre o novo projeto de lei de fomento à cultura
Odilon Wagner

Política cultural e as dimensões do desenvolvimento da cultura
Paula Porta

“Vale-Cultura”
Accor Services

Preservação do patrimônio cultural nos centros históricos
Luiz Fernando de Almeida

Revitalização de áreas centrais de cidades brasileiras
Maria Silvia Bastos Marques

Fome de cultura
Carlos Augusto Calil

TERCEIRA PARTE – “TEATRO MÁGICO DA CULTURA”, II: DESDOBRAMENTOS DA ESTRATÉGIA (GRUPOS DE TRABALHO)

GT DE APOIO AO CINEMA BRASILEIRO

Por uma indústria de cinema autossustentável
Luiz Carlos Barreto

Apoio ao cinema brasileiro
Carlos Eduardo Guimarães

Uma análise do cinema brasileiro
Vera Zaverucha

Cinema brasileiro — mais oferta, menos ocupação
Bruno Wainer

Proposta do GT de cinema: uma contribuição
Ícaro C. Martins

Economia do cinema e do audiovisual: eixos estruturastes
Manoel Rangel

Público de cinema e teatro
Carlos Eduardo Rodrigues (Cadu)

Desenvolvimento audiovisual: uma proposta baseada na segmentação dos mercados
Alfredo Bertini

Recursos para o cinema brasileiro
Roberto Farias

Indústria audiovisual: liberdade de decisão e busca de resultados
Carlos Alberto Diniz (Cacá Diniz)

Um novo paradigma para o fomento ao cinema brasileiro
Nilson Rodrigues

Audiovisual em desenvolvimento
Mário Diamante

Investimentos em cinema no Brasil (1997-2007)
Paulo Sérgio de Almeida

GT DE APOIO À CULTURA POPULAR

Políticas públicas para as culturas populares
Claudia Marcia Ferreira e Marcia Sant’Anna

Cultura popular: breves notas e proposições
Helena Sampaio

Duas ou três coisas sobre folclore e cultura popular
Maria Laura Viveiros de Castro Cavalcanti

GT DE APOIO AO TEATRO

Algumas ideias sobre a situação do teatro
Barbara Heliodora

O teatro hoje: uma introdução às questões de políticas públicas
Aderbal Freire-Filho

Questões relativas à atividade teatral (visão da Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro)
Ecila Muteznbecher e Carmen Mello

Duas visões da cultura brasileira (e proposta para o teatro brasileiro da Cooperativa Paulista de Teatro)
Ney Piacentini

Análise do setor teatral (visão da Associação dos Produtores Teatrais Independentes, São Paulo)
Odilon Wagner

GT DE APOIO À INDÚSTRIA DO LIVRO

O apoio à indústria do livro
Rosely Boschini, Sergio Windholz, Marcílio PousadaSamuel Seibel, Sônia Jardim, Marcus Gasparian, Rui Campos e Roberto Feith

GT DE APOIO À MÚSICA (MPB E MÚSICA CLÁSSICA)

Apoio à música: pontos importantes
Carlos “KK” Mamoni Júnior

Música e políticas públicas
Luiz Fernando Benedini

Algumas considerações sobre a indústria da música
Roberto Carvalho

Apoio à produção de música gravada
Paulo Rosa

O desenvolvimento cultural e o Programa Música em Ação
Annelise Godoy

QUARTA PARTE – CULTURA EM FAVELAS E APOIO DAS UNIVERSIDADES AO DESENVOLVIMENTO CULTURAL

DESENVOLVIMENTO CULTURAL EM FAVELAS: DEPOIMENTOS

O Centro Comunitário dos Morros Pavão-Pavãozinho (Cidade do Rio de Janeiro)
Pe. José Roberto Devellard

A “Livroteca” Comunitária Guardiões do Pina, Recife (em palafita)
Kcal Gomes

APOIO DA UNIVERSIDADE AO DESENVOLVIMENTO CULTURAL: DEPOIMENTOS

A cultura está dentro da universidade
Pe. Jesus Hortal, S. J.

Cultura e universidade: a ideia de cidadania cultural
Mauricio José Laguardia Campomori

QUINTA PARTE – APOIO DA MÍDIA À CULTURA E RESPONSABILIDADE CULTURAL

APOIO DA MÍDIA AO DESENVOLVIMENTO CULTURAL: DEPOIMENTOS

Mídia e desenvolvimento cultural: um parto de dor
Rodrigo de Almeida

Cultura, alavanca do desenvolvimento
Luiz Paulo Horta

O jornalismo e a pluralidade da cultura
Marcelo Beraba

O apoio a oferecer e a nossa crítica
Plínio Fraga

APOIO DA TELEVISÃO AO DESENVOLVIMENTO CULTURAL

Televisão pública e cultura
Tereza Cruvinel

A televisão aberta deve contribuir para o progresso cultural
Luis Erlanger

Televisão por assinatura: a cobertura que a cultura merece
Marcelo Lins

Responsabilidade cultural das empresas: proposta da Petrobras
Eliane Costa

ANEXO – O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL, IDS, 1970-2008

O IDS: análise da evolução social do Brasil (atualização para 2008)
Roberto Cavalcanti de Albuquerque e Antonio Pessoa