Livros

Mercosul e NAFTA: o Brasil e a integração hemisférica. J. Olympio, Rio de Janeiro, 1995 [Seminário Especial- 1994].

O presente volume publica os principais estudos apresentados no Seminário Especial A nova inserção internacional do Brasil, o NAFTA e a integração hemisférica, realizado pelo Inae/Fórum Nacional no Rio de Janeiro, em setembro de 1994 e que reuniu renomados especialistas no assunto, nacionais e estrangeiros.

O fenômeno da globalização é processo que vem produzindo múltiplas transformações na economia mundial, afetando tanto o comportamento empresarial quanto as políticas e estratégias dos estados-nações.

O desafio das empresas consiste em capacitar-se para a competitividade em escala mundial, especializando seus investimentos, incorporando novas tecnologias, praticando gerência eficaz de seus negócios. O desafio dos governos equivale a estabelecer, após a crise vivida, nos anos 80, pelos organismos internacionais de regulação comercial e financeira, um novo paradigma de “gestão da interdependência”, combinando, em arranjos institucionais, globais e peculiares a cada país, o unilateralismo, a regionalização e o multilateralismo.

Essas duas questões são examinadas em profundidade neste livro, com destaque para a inserção internacional do Brasil e para a integração hemisférica.

Na primeira parte Luiz Felipe Lampreia, Renato Baumann e José Tavares de Araújo Jr. consideram as implicações, para o Brasil, da Rodada Uruguai, em particular da criação da Organização Mundial do Comércio (OMC). O novo organismo é visto como o fulcro de uma nova institucionalidade multilateral, capaz de reduzir as margens de autonomia das decisões nacionais relativas à política industrial e ao comércio exterior. Com ele afirmam-se, ademais, novos temas da agenda internacional, como os da propriedade intelectual, o dos constrangimentos ambientais e o das relações de trabalho. Nesse quadro, impõem-se aos estados políticas de inserção diferenciadas, e, às empresa, novas estratégias de mercado, sejam globais, intra-industriais ou intrafirmas.

Na segunda parte do volume, Pedro Motta Veiga, Raúl A. Hinojosa-Ojeda, Jeffrey D. Lewis e Sherman Robinson, Marcelo de Paiva Abreu e Isaac Cohen discutem as implicações, para as Américas, do NAFTA e do Mercosul e especulam sobre o futuro do processo de integração econômica hemisféricas. Questões como as relações entre crescimento e integração, os mecanismos de financiamentos da reestruturação industrial para a competitividade; as vantagens, para países como o Brasil, a Argentina e o México, de uma zona hemisférica de livre comércio ou de um “regionalismo aberto” para a América Latina são abordadas, em seus vários e mais relevantes aspectos.

Em todos esses estudos, sobressai a preocupação em discutir as opções políticas e estratégicas do país e das empresas nacionais diante das novas realidades do cenário mundial contemporâneo e das tendências que se descortinam no futuro.

Sumário

Introdução

A nova inserção internacional do Brasil e a integração hemisférica: síntese
Pedro da Motta Veiga

Primeira Parte – A Rodada Uruguai e a inserção internacional do Brasil

Implicações para o Brasil da Rodada Uruguai
Luiz Felipe Lampreia

Dimensões da inserção internacional do Brasil
Renato Baumann

A economia política da proteção após a Rodada Uruguai
José Tavares de Araújo Jr.

Segunda Parte – O Brasil, o Mercosul e o NAFTA

Mercosul: a agenda da consolidação e os dilemas da ampliação
Pedro da Motta Veiga

Mercosul e NAFTA: convergência e divergência na integração das Américas
Raúl A. Hinojosa-Ojeda, Jeffrey D. Lewis e Sherman Robinson

O NAFTA e as relações econômicas Brasil-Estados Unidos
Marcelo de Paiva Abreu

Após o NAFTA: implementação da cláusula de adesão
Isaac Cohen