Livros

Estabilidade e crescimento: os desafios do Real. J. Olympio, Rio de Janeiro, 1994 [VI Fórum Nacional- 1994].

Este livro empreende ampla avaliação das perspectivas de êxito do Plano Real e desenha os cenários político-sociais e econômicos que, concretizados, criarão as condições para o crescimento sustentado, com transformação produtiva, e favorecerão novas oportunidades de desenvolvimento.

Na introdução, Rubens Ricupero situa o Plano Real no contexto da crise brasileira. Para ele não há salvação sem estabilidade, a qual não é um objetivo em si mesmo, sendo, ao contrario, o instrumento para viabilizar o projeto de modernização nacional.

A primeira parte do volume, a cargo de Mario Henrique Simonsen, Affonso Celso Pastore, Rubens Penha Cysne e Raul W. R. Velloso, examina, em profundidade, os aspectos monetários, cambiais e fiscais do programa de estabilização em curso no país, bem como as medidas complementares capazes de assegurar, a médio prazo, o controle da inflação.

Na segunda parte, as tendências e perspectivas do desenvolvimento brasileiro na década de 1990, em suas várias dimensões, são analisadas. Sérgio Abranches concebe cenários globais, situados entre as alternativas de fracasso ou de sucesso da estabilização e entre os limites do impasse/ruptura da mudança/progresso.
Equipe do Ipea considera as perspectivas e desafios da economia brasileira nos próximos anos e equipe da CNI, o perfil, a reestruturação e o crescimento industriais. O futuro do Programa de Privatização é examinado por Elena Landau. Os cenários e perspectivas de curto e médio prazos da agricultura, por José Roberto e Maria Cristina Mendonça de Barros

A terceira parte é dedicada s questões, conexas, da retomada do crescimento sustentado e da reestruturação industrial. Antonio Barros de Castro faz a ponte entre a estabilização, o crescimento e a política industrial, espelhando-se na recente experiência argentina. Luciano Coutinho defende que a continuidade da estabilidade e sua transição para o crescimento sustentado implicam a busca permanente da competitividade e de capacitação tecnológica da indústria brasileira, apontando os fatores que a assegurarão. E, nesse contexto, Mauro Arruda e Marcelino J. Jorge, Hans Mathieu, José Israel Vargas e José A. Assumpção Brito consideram, respectivamente, a política industrial no contexto da liberalização da economia, a importância dos recursos humanos e de novas formas de relacionamento capital-trabalho como fatores externos da competitividade, o papel da ciência e da tecnologia e a importância estratégica das pequenas empresas.

Na quarta parte, Paulo Haddad, Lena Levinas e Claudio R. Frischtak e equipe examinam os novos caminhos para a desconcentração espacial do crescimento, em especial os riscos e as oportunidades de novos e mais dinâmicos pólos regionais de desenvolvimento, entre os quais a viabilização da nova indústria criada a partir da Zona Franca de Manaus.

Na quinta parte, finalmente, Roberto Teixeira da Costa, Silvano Valentino, Paulo Paixão, Antônio Sérgio Martins Mello, Raimar da Silva Aguiar, Helson Braga e Maurílio Ferreira Lima contribuem, com relevantes depoimentos, para o debate sobre os desafios que a economia brasileira deverá enfrentar, nesta década, na condução dos processos de estabilização e de retomada do crescimento continuado, e na busca de mais descentralização produtiva, sobretudo industrial.

Sumário

Introdução

O programa de estabilização e a crise brasileira
Rubens Ricupero

Primeira Parte – O plano de estabilização

Avaliação do Plano Real
Mario Henrique Simonsen

Reforma monetária, inércia e estabilização
Affonso Celso Pastore

A inflação e o Plano Real
Rubens Penha Cysne

Combate à inflação e ajuste fiscal
Raul W R. Velloso

Segunda Parte – A década de 1990: cenários e tendências

Mudança e impasse: cenários e saída
Sérgio Henrique Hudson de Abranches

A economia na década de 1990: perspectivas
Antonio B. de Oliveira e Silva, Claudio Monteiro Considera, Maria Helena Horta, Paulo Mansur Levy e Renato Villela

A indústria: perfil e perspectivas
José Augusto Coelho FernandesFlávio Castelo Branco, José Guilherme A. Reis e Marco Antonio Reis Guarita

O Programa de Privatização: resultados e perspectivas
Elena Landau

A agricultura: cenário e perspectivas
José Roberto Mendonça de Barros e Maria Cristina Mendonça de Barros

Terceira Parte – Crescimento e reestruturação industrial

Estabilização, crescimento e política industrial
Antônio Barros de Castro

A indústria: competitividade sistêmica
Luciano Coutinho

Política industrial e abertura da economia
Mauro Fernando Maria Arruda e Marcelino José Jorge

Reestruturação industrial, organização do trabalho, capital e trabalho
Hans Mathieu

Competitividade: ciência e tecnologia
José Israel Vargas

Crescimento e emprego: o papel da pequena empresa
José Augusto Assumpção Brito

Quarta Parte – Novos caminhos do crescimento

Os novos pólos regionais de desenvolvimento no Brasil
Paulo R. Haddad

Pólos regionais: condições para seu sucesso
Lena Lavinas

Viabilização da Zona Franca de Manaus
Claudio Roberto FrischtakEduardo Augusto Guimarães, Paulo Bastos Tigre e Claudia Nessi Zonenschain

Quinta Parte – Debates e depoimentos

A estabilização e a empresa privada
Roberto Teixeira da Costa

Visão do Brasil competitivo
Silvano Valentino

Competitividade e emprego
Paulo Paixão

Bases da política industrial
Antonio Sérgio Martins Mello

A competitividade e as vocações regionais
Raimar da Silva Aguiar

Atualidade das zonas de processamento de exportação
Helson Braga

Combate à inflação e vontade política
Maurílio Ferreira Lima