Livros

A promoção do desenvolvimento: os 50 anos do BNDES e do Banco do Nordeste. J. Olympio, Rio de Janeiro, 2003 [Seminário Especial- 2002].

O cinqüentenário das duas mais importantes instituições de fomento ao desenvolvimento do país – o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de atuação nacional,  e o Banco do Nordeste, de âmbito regional – motivou  o Fórum Nacional a proceder, em seminário especial (2002), a um balanço de realizações e a propor diretrizes de ação para o futuro, repensando, ao mesmo tempo, os rumos do desenvolvimento do Brasil e do Nordeste. Este livro resulta dessa iniciativa.

Na apresentação, João Paulo dos Reis Velloso sintetiza as principais contribuições do livro, acrescentando, a propósito delas, pertinentes esclarecimentos. E o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Sergio Amaral, empreende reflexão atual sobre a natureza do desenvolvimento na era da globalização: antes de tudo, um compromisso com a competitividade, mas também a busca de mais ampla igualdade de oportunidades na economia mundializada.

A primeira parte do livro é dedicada ao BNDES. Seu presidente, Eleazar de Carvalho Filho, vê a entidade como agente de transformação enquanto tal, um banco de idéias, sempre na vanguarda do desenvolvimento. De autoria de Jorge Chami Batista, o balanço dos 50 anos do banco destaca sua determinante participação em três fases: a segunda metade dos anos 50, associada ao Plano de Metas do governo Kubitschek; os anos 70, período do chamado milagre econômico e do II Plano Nacional de Desenvolvimento; e os anos 90, de profundas mudanças, decorrentes da abertura da economia e das privatizações. E Claudio R. Frischtak e Marco Antônio F. H. Cavalcanti especulam sobre a atuação futura do BNDES: como uma ferramenta para “romper o nó górdio do baixo crescimento” e transformando-se em um “banco do conhecimento”.

A segunda parte cinge-se ao Banco do Nordeste e ao desenvolvimento regional. Seu presidente, Byron Costa de Queiroz, vê a instituição ajustada à nova forma de administração pública e de governo, mais transparente e mais comprometida com o social. Roberto Cavalcanti de Albuquerque propõe uma nova estratégia  de desenvolvimento para o Nordeste, voltada para uma dupla e mais dinâmica inserção nas economias nacional e global. E orientada por quatro opções básicas: a opção pela competitividade sistêmica; a opção por economia e sociedade baseadas no conhecimento; a opção por reestruturação, ampliação e modernização produtiva; e a opção por processo acelerado de transformação social. Valdemar Barros Filho e Everton Chaves Correia empreendem balanço detalhado da atuação do Banco do Nordeste propondo que o banco busque assegurar para a região um crescimento endógeno, obtido através de ações de fomento integradas e com visão de longo prazo.

O livro é enriquecido com contribuições e comentários de Marcos Vianna,
Waldeck Ornélas e José de Freitas Mascarenhas.

Sumário

Apresentação

50 anos de promoção do desenvolvimento
João Paulo dos Reis Velloso

Introdução

Globalização, governança e desenvolvimento
Sergio Amaral

A Promoção do Desenvolvimento: Os 50 Anos do BNDES e do
Banco do Nordeste

Primeira Parte – O BNDES e o desenvolvimento brasileiro

Os 50 anos do BNDES
Eleazar de Carvalho Filho

O BNDES e o desenvolvimento brasileiro, 1952-2002
Jorge Chami Batista

As perspectivas do desenvolvimento brasileiro e o BNDES
Cláudio Frischtak e Marco Antônio Cavalcanti

O atual momento brasileiro e o BNDES
Marcos Vianna

Segunda Parte – O Banco do Nordeste e o desenvolvimento regional

O Banco do Nordeste e o desenvolvimento regional
Byron Costa de Queiroz

Bases de uma nova estratégia de desenvolvimento para o Nordeste
Roberto Cavalcanti de Albuquerque

O Banco do Nordeste: balanço da atuação e perspectivas
Valdemar Barros Filho e Everton Chaves Correia

O Banco do Nordeste, o Nordeste e o BNDES
Waldeck Ornélas

A nova estratégia para o Nordeste: comentários
José de Freitas Mascarenhas