Livros

A crise brasileira e a modernização da sociedade. J. Olympio, Rio de Janeiro, 1990 [I Fórum Nacional – 1988].

Todos sabemos que a crise brasileira não se limita ao problema econômico, embora constitua este a sua manifestação mais visível e dramática.

A preocupação dos autores desta obra, que reúne as contribuições apresentadas ao Fórum Nacional sobre o tema, é mostrar o caráter global da crise e até mesmo existencial, e suas raízes próximas e de longo prazo. Especial atenção foi dispensada ao caráter desigual e incompleto do processo de modernização experimentado pela sociedade brasileira, da década de 1950 até a de 1980, e às suas conseqüências para o quadro de heterogeneidade e complexidade que o Brasil apresenta hoje.

Discute-se tanto o dinamismo da evolução econômica, e suas distorções, quanto o caráter desigual da trajetória social e a ausência de modernização política. No último aspecto, deu-se grande destaque à formação de uma sociedade de massas, que determinaria, na década de 1970, a eclosão de uma política de massas, já evidente nas eleições de 1974.

As crises da década de 1980, e principalmente as transições atribuladas da Nova República (inclusive a elaboração da nova Constituição), são vistas como os fatores de médio e curto prazos, que, em conjugação com o desvario inflacionário, terminaram por detonar a crise generalizada. Procura-se, desta forma, interpretar o fato alarmante de como o Brasil, sendo uma das nações, no mundo, com mais capacidade de crescer, levou a década de 1980 em desempenho econômico medíocre e atribulado, numa era de considerável progresso internacional.

Na preocupação de não ficar no diagnóstico, os autores, com a sua experiência de lidar com a estratégia de desenvolvimento (João Paulo dos Reis Velloso, Antonio Dias Leite, Hélio Jaguaribe e José Serra), ou com os caminhos da política brasileira (Aspásia Camargo e Marcus Faria Figueiredo), passam, então, a discutir alternativas de saídas para a crise. Grande ênfase é por eles dada à importância de modernizar o sistema político e o Estado brasileiro, e de eliminar as grandes desigualdades na distribuição de renda. Esses setores, na atual realidade nacional tornaram-se pedras angulares de qualquer solução em profundidade. Deve, pois, a sociedade ter consciência dessa relevância e de como se poderá conciliar a condução de tais processos com a preservação do crescimento sustentado.

Sumário

Introdução Geral

Idéias para a modernização do Brasil

A Crise Brasileira e a Modernização da Sociedade

Um país sem projeto: a crise brasileira e a modernização da sociedade – primeiras idéias
João Paulo dos Reis Velloso

As duas faces de Janus: os paradoxos da modernidade incompleta
Aspásia Camargo

Nova Constituição e desenvolvimento
Antonio Dias Leite

Sociedade, Estado e partidos na atualidade brasileira: sucinta aproximação preliminar
Hélio Jaguaribe

O eleitor brasileiro sabe o que quer: democracia e comportamento eleitoral estratégico
Marcus Faria Figueiredo

O novo ICM na Constituição de 1988: observações sobre “Nova Constituição e desenvolvimento”
José Serra