Arquivo mensal: maio 2013

Testemunhas da vida, da verdade e de tempos sombrios

Testemunha da vida Na sessão de encerramento do XXV Fórum Nacional, o padre Paul Schweitzer, professor da PUC-Rio, resgatou a história de Damião, o missionário belga que dedicou os melhores anos de sua vida em uma ilha-leprosário do Hawaii, velando pela salvação das almas daqueles infelizes carregados de ressentimento incurável e diários mal-estares físicos, afastados do convívio humano. Como recordou Schweitzer: Josef de Veuster, conhecido hoje em sua congregação religiosa e no mundo inteiro como o pai São Damião de Molokai, falecido aos 49 anos, de lepra, no mesmo lugar em que chegou… ... continue lendo →

Euclydes da Cunha e a guerra sertaneja

Na sessão de encerramento do XXV Fórum Nacional, a professora emérita da Universidade de São Paulo (USP), Walnice Nogueira Galvão, dissertou sobre a vida de Euclydes da Cunha e sua principal obra, “Os Sertões”. Na visão da professora, a personalidade marcante de Euclydes o fez uma testemunha das injustiças sociais da época. “Era um intelectual empenhado em ir pessoalmente aos locais onde havia conflito”, explicou. A professora lembra que Euclydes era um homem público: jornalista, engenheiro, militar, participou da agitação republicana que preparava a queda do império e, claro, escritor. Embora não fosse um… ... continue lendo →

Mozart: o homem e o compositor

A vida e a obra de Wolfgang Amadeus Mozart foram os temas da palestra do crítico musical Luiz Paulo Horta, membro da Academia Brasileira de Letras e Presidente do Centro Dom Vital. “Ele chegou a ser chamado por alguns contemporâneos como um verdadeiro milagre”, afirmou Horta. Mozart foi um menino prodígio, mas suas obras importantes começaram a aparecer quando ele tinha uns 17 anos. Como ele morreu aos 35, restaram-lhe menos de 20 anos de composição. “Nesse curto período, ele sobrepassou a arte temporal e se faz presente até hoje”, atestou o crítico… ... continue lendo →

Francisco de Assis, uma lição de vida

No encerramento dos trabalhos do XXV Fórum Nacional, a vida de São Francisco de Assis mereceu destaque na palestra do Frei Vitorio Mazzuco, reitor do Convento Santo Antônio do Rio de Janeiro e mestre em Teologia. “Francisco é um modelo de referência, e ter um modelo é uma questão de futuro”, explicou o religioso. Na avaliação de Mazzuco, São Francisco foi um exemplo positivo e necessário que abalou seu tempo e continua impactando até hoje. Um modelo vivo do melhor que a humanidade produziu nestes últimos oito séculos. “Foi um santo natural, caseiro… ... continue lendo →

A importância social da arte

"O Brasil precisa de um Ministério da Arte”, defendeu o diretor de teatro, cineasta e ator Domingos de Oliveira. Para o intelectual, o Brasil tem um bom Ministério da Cultura, “mas não tem ninguém pensando na razão de tudo: a arte”, lamentou. Domingos fez questão de diferenciar arte de cultura. Enquanto esta fala de conhecimento, de preservação das tradições e, portanto, do passado, a arte “é o arauto do futuro”, disse, citando Heidegger. Na avaliação de Domingos, a arte é o mais importante trabalho do ser humano na face da Terra e sua… ... continue lendo →

Fórum também para os livros

A 25ª edição do Fórum Nacional, realizada entre 13 e 16 de maio, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, foi palco para o lançamento de cinco livros, com propostas e alternativas para enfrentar desafios em comunidades carentes, biodiversidade e novas fronteiras econômicas. “Estratégia Nacional de Acesso ao Mercado de Capitais”, como o próprio nome sugere, apresenta um mapa seguro para o ingresso nos negócios com papéis das empresas de capital aberto e faz parte da série “Cadernos IBMEC”. Uma preciosa ajuda a quem tem… ... continue lendo →

Favelas ainda não conseguem ser ouvidas pelo Estado

Apesar dos avanços obtidos pela chegada dos serviços e equipamentos públicos às 32 favelas pacificadas do Rio de Janeiro, os representantes destas comunidades lamentam que as decisões políticas e projetos ainda sejam definidos com nenhuma ou pouquíssima participação dos moradores. Para os representantes destas comunidades reunidos no último dia do XXV Fórum Nacional, na sede do BNDES, do Rio de Janeiro, ainda há um forte “DNA” de se decidir isoladamente e tentar impor projetos prontos às lideranças das favelas. “Teríamos que estar presentes todas as vezes que se reunirem para falar de nós.… ... continue lendo →

Apostando nas pessoas para o desenvolvimento da comunidade

No último dia de debates do XXV Fórum Nacional, ficou destacada a importância do indivíduo para o desenvolvimento econômico e social das comunidades carentes. Em três palestras distintas, a formação de cidadãos foi o foco das discussões. Para Claudio Cezar Almeida, assessor do BNDES, “não existe desenvolvimento com iniquidade social”. Nesse sentido, as ações do órgão junto às comunidades se baseiam no tripé: respeito (dignidade e cidadania a todos os que procuram apoio), cooperação (fazer “com” a comunidade, e não “para” a comunidade) e oportunidade (apoiar os talentos locais, potencializar o surgimento e… ... continue lendo →

Que venha a ocupação social das favelas

“Queremos a UPP, mas que venha também a ocupação social das favelas”. Foi o que pediu, em breve discurso, o presidente da Federação das Favelas do Estado do Rio de Janeiro (FAFERJ), Rossino de Castro Diniz. Ele lembrou que dos 25 anos de reuniões do Fórum Nacional, as comunidades vêm marcando presença nos últimos cinco, e agradeceu pelo espaço cedido. Diniz destacou que 99% dos moradores de favelas são pessoas de bem, “mas são cidadãos sem Estado”, pois a comunidade inteira vive em situação vulnerável, sem a presença do poder público. “E quando… ... continue lendo →

A verdadeira parceria entre o público e a comunidade

A parceria constante entre o poder público e a sociedade é de suma importância para a inclusão social e econômica das comunidades mais carentes. Esta é a principal conclusão da arquiteta e urbanista Ruth Jurberg, coordenadora geral do PAC 2 no Estado do Rio de Janeiro. “O apoio tanto financeiro quanto por meio de recursos humanos e expertise do governo e de instituições parceiras devem ser permanentes a fim de alavancar oportunidades, possibilitando as mudanças efetivas e concretas na vida dos moradores das comunidades”, defendeu. Na percepção da arquiteta, nos últimos anos a… ... continue lendo →

Por uma cidade integrada

A cidade integrada não é uma utopia, é uma possibilidade. Esse foi o mote repetido pela economista Eduarda La Rocque, presidente do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos. As experiências do instituto, sobretudo por meio da UPP Social, foram relatadas no mais recente livro lançado no Fórum, “Favela como Oportunidade”, coordenado pelo ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso e pela socióloga Marília Pastuk. Eduarda explicou que a UPP Social foi criada para articular a atuação dos diferentes órgãos dentro das comunidades e entender quais são as reais demandas desses locais, viabilizando as ofertas… ... continue lendo →

O Banco da Providência e a capacitação de líderes

Contribuir para a redução das desigualdades sociais por meio da ação de articulação de empresas, famílias, pessoas e comunidades pode ser um caminho transformador da realidade. Foi o que afirmou Clarice Linhares, superintendente do Banco da Providência. “No entanto, para garantir a sustentabilidade do processo, é preciso formar gestores do processo”, observou, enfatizando a importância da educação para alcançar esse objetivo. Do ponto de vista do Banco da Providência, a inclusão econômica e social das comunidades é um processo baseado em três olhares: o olhar para os talentos locais (as bases de apoio… ... continue lendo →